doula

apoio gravidez

Acompanhamento na gravidez

Quando a gravidez chega, surgem dúvidas sobre o acompanhamento durante esta nova fase.

A gravidez deve ser vigiada por uma equipa multidisciplinar que possa acompanhar a saúde física, mental e emocional da mãe e bebé.

Que profissionais fazem o acompanhamento durante a gravidez?

O acompanhamento com um profissional de saúde especializado em saúde materna e obstétrica, é fundamental para uma gravidez saudável. Aconselha-se que a primeira consulta aconteça até às 8 semanas e de preferências antes das 12 semanas.

Após a avaliação inicial do estado de saúde da mãe e do bebé, o profissional de saúde decidirá se é necessário aumentar a frequência das consultas. Nestas consultas são efetuados exames físicos e ginecológicos e prescritos os exames complementares, tais como análises, ecografias e/ou outros que sejam necessários.

Sabia que também existem outros profissionais que podem apoiar e complementar o cuidado médico tradicional? E que poderão dedicar-lhe uma atenção única e especializada nas áreas de intervenção que para si sejam prioritárias.

Quem são eles? E como a podem ajudar?

  • Doulas – O acompanhamento da doula tem benefícios comprovados e que vão muito para além da comunicação e disponibilização de informação baseada em provas científicas, constitui um apoio emocional, individualizado e orientado para cada família.
  • Nutricionistas – contribuem para o bem-estar da saúde da mãe e do bebé e pode incidir em diferentes aspetos da área da nutrição e alimentação.
  • Osteopatas – podem ajudar no alívio dos desconfortos normais que surgem nesta fase, causados pelas alterações posturais, hormonais, e pela carga da gravidez.
  • Terapeutas de Massagem – reduzem significativamente o stress físico e a fadiga associados à gravidez, aliviando a ansiedade natural durante este tempo
  • Entre outros

Inúmeros estudos científicos, validam os benefícios de um acompanhamento multidisciplinar, flexível e adaptado às necessidades de cada família.

Saiba mais sobre o acompanhamento e benefícios da doula:


Planear a gravidez

Está a pensar em planear a sua gravidez?

Já ouviu falar em Pré – Concepção cujo significado é: “Ideia que se forma antecipadamente” ?

Quando uma família pensa em engravidar este caminho pode ser planeado alguns meses antes do teste positivo de gravidez.

Muitas vezes pensamos que os cuidados com a gravidez só devem ter lugar durante o tempo de gestação. No entanto, meses antes de engravidar, é importante que ponha em prática uma série de ações e cuidados, para assegurar uma gravidez saudável e bem-sucedida.

O planeamento da gravidez é importante e recomendado para o sucesso, tanto da própria concepção, quanto da gestação.

Recomendações para uma pré-concepção consciente:

  • Análise dos ciclos menstruais – Conhecer os ciclos menstruais da mulher, é o primeiro passo antes de pensar na gravidez. O registo dos ciclos menstruais é útil para conhecer os seus dias férteis e mais tarde, quando receberem o tão desejado teste positivo esta informação será muito útil para aferir a data estimada da concepção.
  • Consulta pré-concepcional – A avaliação do estado de saúde físico e mental da futura mãe é muito importante, deverá ser agendada uma consulta com profissional de saúde habitual e pode também recorrer a uma doula de pré-concepção que pode complementar o apoio médico. O ideal é que a consulta seja efetuada em tempo oportuno para que possam ser fornecidos ao casal as orientações necessárias a uma pré-concepção consciente, conjunta e partilhada.
  • Alimentação saudável – Contribui para a melhoria da fertilidade do casal, tal como oferece os nutrientes que a mãe necessita em quantidades suficientes para ela e para o bebé. A ingestão de vitaminas tais como, o Ácido Fólico, Vitaminha D e Vitamina B12 são recomendadas nesta fase e terão influencia direta na formação do sistema nervoso do bebé. Para além destas, o Zinco vai atuar no sistema imunológico e o cálcio, na divisão celular.
  • Exercício Físico – O exercício físico faz parte de uma rotina de vida saudável e continuar manter a sua prática regular é benéfico para si e para o futuro bebé, salvo raras exceções que deverão ser avaliadas com o profissional de saúde que vos acompanharão. Saiba mais sobre os benefícios do exercício físico na gravidez : https://maternalvita.pt/exercicio-gravidez-beneficios/

Preparar a chegada de uma nova vida é um caminho de autoconhecimento, consciência e despertar físico e mental.

A cesariana é uma das formas pelas quais os bebés podem nascer. Neste artigo apresentamos-lhe os prós e contras. Descubra aqui!

Cesarianas – Prós e Contras

Cesarianas – Prós e Contras


Este post Não tem caráter fundamentalista!  A intenção é informar com base em estudos e evidências científicas, por forma a que as famílias possam fazer escolhas informadas!

A cesariana é uma das formas pelas quais os bebés podem nascer.

É uma cirurgia complexa e como em todas as cirurgias comporta riscos, no entanto salva vidas sempre que existem situações médicas reais em que a cesariana é indicada e deve ser realizada.

A informação disponível até à data refere que as indicações médicas reais para uma cesariana são apenas seis! 

  • Prolapso de cordão umbilical – com dilatação não completa;
  • Descolamento prematuro da placenta com feto vivo; fora do período expulsivo;
  • Placenta prévia completa;
  • Apresentação córmica (bebé atravessado);
  • Rutura de vasa previa (cordão à frente da cabeça do bebé);
  • Herpes genital com lesão ativa no momento em que se inicia o trabalho de parto.

Fonte: Dr.ª Melânia Amorim, obstetra 

Existem outras situações especiais em que se deve avaliar individualmente os riscos -benefícios da intervenção, e informar a grávida dos mesmos.
Está a ser reforçado pela ciência que as altas taxas de cesariana estão por sua vez a aumentar as taxas de morbilidade e mortalidade materna.
O amor de mãe não se mede pelo modo como parimos, por isso uma Cesariana a pedido da mulher pode ser uma escolha consciente e informada! 


C- Sections – Pros and Cons

This post has no fundamentalist character!
The intention is to inform based on studies and scientific evidence, so that families can make informed choices!

A Caesarean section is one of the ways that babies can be born.
It is a complex surgery and as in all surgeries it carries risks, however it saves lives whenever there are real medical situations in which c- section is indicated and must be performed.

The information available states that there are only six real medical indications for a c- section!

  • Umbilical cord prolapse – with incomplete dilation;
  • Placental abruption with live fetus; outside the expulsive period;
  • Complete placenta previa;
  • Comical presentation (baby crossed);
  • Vasa previa rupture (cord in front of the baby’s head);
  • Genital herpes with an active lesion at the moment when labor begins.

Source: Dr.ª Melânia Amorim, obstetrician

There are other special situations in which risks and benefits of the intervention must be assessed individually , and inform the pregnant woman about them. It is being reinforced by science that high C-section rates are in turn increasing the morbidity and maternal mortality.
A mother’s love is not measured by the way we give birth, so a C-Section  by request of the woman can be a conscious and informed choice!

Não poderia faltar a nossa Newsletter. Hoje saiu a nossa 3ª Newsletter e falamos de como pode lidar com a gravidez no Verão. Saiba tudo!

#3 Newsletter Maternalvita – Como lidar com a Gravidez no Verão

O Verão é sinal de dias mais quentes, mais longos e de descanso para muitas famílias.

Mas, quando estamos grávidas, os dias quentes e o calor podem desencadear algumas alterações no organismo, que geram desconfortos na gravidez. Por isso, dedicamos a nossa terceira newsletter a recomendações que ajudam a lidar com o calor durante a gravidez. (1)


Recomendações para lidar com a gravidez no Verão 


No Verão:

  • Evite estar ao sol nas horas de maior calor.
  • Use protector solar e um chapéu de abas largas; o chapéu ajudará a evitar o surgimento de manchas na pele.
  • Tome banhos no mar e faça caminhadas à beira da água; assim, promove o retorno venoso e a drenagem linfática.
  • Aumente a ingestão de líquidos ao longo do dia; deste modo, poderá regular a temperatura corporal e repor os líquidos que perde com o aumento da transpiração.
  • Mantenha uma alimentação saudável e leve, coma legumes, verduras e frutas. Estes alimentos são essenciais em qualquer momento da nossa vida, principalmente nesta fase.
  • Descanse; ao longo do dia repouse, coloque as pernas para cima e relaxe. O calor excessivo pode causar fadiga e um cansaço maior do que o normal.
  • Diminua a ingestão de sal (o sódio retém líquido, que por sua vez, aumenta o inchaço).
  • Ao sair do mar ou da piscina, troque de biquíni/fato-de-banho; não fique com o biquíni/fato-de-banho molhado. Durante o Verão, o PH da vagina fica mais ácido, aumentando a predisposição à infecção por fungos.
  • Reforce a higiene íntima; pode utilizar sabonete neutro.
  • Exercite-se, aproveite para fazer actividades na água. Uma boa sugestão é a hidroginástica.
  • Evite ficar na mesma posição durante muito tempo.

Cuidar de si é cuidar do seu bebé!


Dê-nos a sua opinião 


A sua opinião é importante! Enquanto Doula certificada, o meu propósito é ajudá-la(o) a si e à sua família a conhecer e exercer os seus direitos, para que a experiência do nascimento possa ser, para todos, mais feliz.
Terei sempre em conta a sua opinião!

Conte comigo!

Mantenha-se a par das novidades sobre estes temas no blog da Maternalvita (3).


Fontes: 
(1) https://maternalvita.pt/gravidez-no-verao-cuidados-a-ter/
(2) https://maternalvita.pt/blog/



#2 Newsletter Maternalvita - Cuidados a ter com as Crianças no Verão

#2 Newsletter Maternalvita – Cuidados a ter com as Crianças no Verão

No Verão, os dias ficam maiores, os mais pequenos entram de férias e começa a azáfama das idas à praia, à piscina e ao jardim. Conhecemos muito bem toda a alegria e agitação das crianças nesta altura do ano, mas também conhecemos toda a preocupação para garantir que eles estão seguros!

Nesta Newsletter, damos-lhe algumas indicações para garantir o bem-estar e a segurança das suas crianças (1)!


Cuidados a ter com os bebés e crianças na rua

  • Evite a exposição direta ao sol. Aplique protetor solar regularmente e utilize um chapéu de abas largas. Isto ajuda a proteger a pele sensível do bebé. Evite sair nas horas de maior intensidade de calor entre – as 12h e as 16h.
  • Se o seu bebé tiver menos de 6 meses e ainda for amamentado, pode pedir mais vezes mama e deverá oferecer-lha. Não é necessário oferecer água ou outros líquidos. O leite materno adapta-se às necessidades do bebé.
  • Se a criança tiver mais de 6 meses, deve ser-lhe oferecida água, várias vezes ao dia. 
  • Utilize roupas claras, leves e, preferencialmente, de algodão.
  • Nunca deixe o bebé sozinho no carro. A temperatura pode subir rapidamente em poucos minutos e o seu bebé pode apanhar uma queimadura.
  • Opte por utilizar pulseiras de identificação infantil. Se a sua criança se perder ou no caso de encontrar uma criança perdida, será muito mais fácil de a ajudar e localizar. Em Portugal, a PSP (Polícia de Segurança Pública) desenvolveu um Programa de pulseiras de identificação para crianças – as pulseiras “Estou aqui!” – que podem ser adquiridas por qualquer familiar e utilizadas por qualquer criança dos 2 anos aos 10 anos idade. Saiba mais sobre esta iniciativa aqui (2).
  • Na piscina e no mar, assegure-se de que os mais pequenos utilizam braçadeiras ou boias.

Cuidados a ter com os bebés e crianças em casa

  • Areje a casa abrindo janelas para que corra uma aragem. Pode ligar a ventoinha ou o ar condicionado, mas não exponha o bebé ou a criança diretamente ao ar fresco lançado pelos equipamentos.
  • Dispa o bebé e coloque-lhe uma fralda de pano para que ele possa refrescar mais rapidamente. As fraldas descartáveis podem provocar irritações nos dias mais quentes! 
  • Evite as sestas no carrinho, ovo ou espreguiçadeira (que são mais quentes do que a cama ou berço).
  • Pode dar mais banhos ao longo do dia, com água tépida. Não é necessário usar agentes de limpeza em todos os banhos – pode ser um momento para brincar e relaxar!

Dê-nos a sua opinião!

A sua opinião é importante! Enquanto Doula certificada, irei ajudá-lo(a) a si e à sua família a conhecer e exercer os seus direitos, para que a experiência do nascimento possa ser, para todos, mais feliz. E terei sempre em conta a sua opinião!

Conte comigo!

Mantenha-se a par das novidades sobre estes temas no blog da Maternalvita (3).


Fontes: 
(1) https://maternalvita.pt/cuidados-bebes-no-verao/
(2) https://estouaqui.mai.gov.pt/Pages/Home.htm
(3) https://maternalvita.pt/blog/


Sabe o que é a Pega na Amamentação? Nós explicamos e ainda contamos-lhe alguns mitos que estão associados à pega.

A Pega

O que é a Pega na amamentação? Como funciona?


É o momento em que o bebé, orientado para o mamilo, abre muito bem a boca, estende a língua por cima do lábio inferior e agarra/pega na mama, envolvendo-a com a língua, para iniciar os movimentos de sucção. 

Mitos associados à Pega:

Como sabemos existem mitos associados à amamentação, um deles, é de que a dor aguda nas primeiras semanas de amamentação e aparecimento de fissuras/gretas é normal! Para “ganhar calo”! Nada mais longe da realidade e que não ajuda as mães e bebés. O importante é a forma como o bebé pega e se posiciona na mama, para prevenir desconfortos, dor, aparecimentos de fissuras e gretas, como para aliviar e facilitar a cicatrização depois destas aparecerem.

Também é fundamental para que o bebé consiga retirar leite com facilidade durante a mamada, para assim receber todo o alimento necessário ao seu crescimento, ficando satisfeito.

Um posicionamento desconfortável e desadequado e/ou pega pouco adequada é a causa mais comum para a amamentação dolorosa nas primeiras semanas de vida e aparecimento de fissuras e gretas. Sendo também, a causa mais comum para o abandono precoce da amamentação. Não utilizo o conceito de “boa pega” ou “má pega”, porque cada mãe e bebé são únicos e o que é confortável para uns, pode ser diferente e também confortável para outros.

O foco deve ser uma mamada confortável para a mãe e eficiente para o bebé – ou seja, sem dor e suficiente para o bebé se alimentar sem grande esforço.





What is latch on breastfeeding? How it works?

It is the moment when the baby, oriented towards the nipple, opens its mouth very well, extends its tongue over the lower lip and grabs/grabs the breast, involving it with the tongue, to start the sucking movements.


Myths associated with Latch:

As we know there are myths associated with breastfeeding, one of them is that acute pain in the first weeks of breastfeeding and the appearance of fissures/cracks is normal! To “gain callus”! Nothing further from reality and that doesn’t help mothers and babies. The important thing is the way the baby latches on and positions itself in the breast, to prevent discomfort, pain, the appearance of fissures and cracks, as well as to relieve and facilitate healing after they appear.

It is also essential for the baby to be able to withdraw milk easily during breastfeeding, in order to receive all the food necessary for its growth, being satisfied.

An uncomfortable and inappropriate positioning and/or inadequate grip is the most common cause of painful breastfeeding in the first weeks of life and the appearance of fissures and cracks. It is also the most common cause for early cessation of breastfeeding. I don’t use the concept of “good latch” or “bad latch”, because each mother and baby are unique and what is comfortable for some may be different and also comfortable for others.

The focus should be on a feeding that is comfortable for the mother and efficient for the baby – that is, painless and enough for the baby to feed effortlessly.

Ao longo dos tempos, têm-se criado mitos acerca do aleitamento materno. A Maternalvita, partilha consigo alguns dos mitos criados!

Mitos na Amamentação

Mitos na amamentação

O aleitamento materno é um ato fisiológico natural e com inúmeros benefícios comprovados pela ciência.
No entanto perduram ao longo de gerações mitos e crendices que podem pôr em causa um processo instintivo.

Hoje partilhamos alguns deles, porque são muitos e cada dia surgem mais alguns!

  • A amamentação é fácil!
    Muitas mães pensam que a amamentar é só pôr o bebé na mama e já está! E apesar de a fisiologia ser essa mesma e de a maioria dos bebés nascerem com o reflexo de procurar pela mama da mãe, às vezes é preciso apoio prático e informação para esclarecer dúvidas e receios naturais desta fase. Coisas simples como saber como posicionar o bebé durante a mamada e explicar o que é uma pega adequada, e que não é normal que o bebé adormeça na mama ou que leve 2 horas a mamar! 

    A amamentação leva tempo e prática para mães e bebés e muitas vezes é necessário aprender a amamentar!

  • É normal ter fissuras, dor e mamilos macerados!
    Não! Não é normal doer durante a mamada! Já ouvi muitas avós, tias e amigas dizerem à mãe que a dor é normal e que a mama precisa ganhar “calo”!!!!
    Muitas mães sentem desconforto nos primeiros dias após o nascimento, é normal sentirem sensibilidade no mamilo, mas não dor!! Mãe e bebé estão a conhecer-se e a aprender a amamentar.  Se houver dor ou desconforto o ideal é contatar uma Doula, C.A.M. ou um profissional que possa auxiliar e avaliar o posicionamento do bebé e a pega para ajudar ultrapassar o desafio.

  • O leite é fraco!
    Não existe leite fraco! Cada mulher produz o leite adequado ao seu bebé e na quantidade necessária. Em alturas de picos de crescimento, o nosso organismo leva cerca de 24 a 48 horas a adaptar a produção às necessidades do bebé.

  • Lavar os mamilos antes de amamentar!
    Lavar os mamilos antes de amamentar não é necessário. Exceto em casos em que a mãe esteja a aplicar alguma medicação tópica (pomadas com antibióticos ou antifúngicos) que não possa ser ingerida pelo bebé ou com óleos essenciais. Caso contrário não é necessário lavar os mamilos, pois quando os bebés nascem, eles já estão muito familiarizados com os cheiros e sons da própria mãe. Os mamilos produzem uma substância que o bebé cheira e tem “boas bactérias” que ajudam a construir o sistema imunológico saudável dos bebés para a vida toda.

  • Evitar comer certos alimentos durante a amamentação!
    Uma dieta equilibrada e uma alimentação saudável durante a gravidez é para manter durante a amamentação. Em geral, não há necessidade de mudar hábitos alimentares. Os bebés são expostos às preferências alimentares das mães desde o útero. Se uma mãe perceber que o bebé reage a um alimento específico que ela come, pode consultar o profissional de saúde que os acompanha.

    E há muitos, muitos mais…!!



Myths in breastfeeding

Breastfeeding is a natural physiological act and has numerous benefits proven by science.
However, myths and beliefs that can jeopardize an instinctive process persist through generations.

Today we share some of them, because there are many and every day there are more!

  • Breastfeeding is easy!
    Many mothers think that breastfeeding is just putting the baby in the breast and that’s it! And although the physiology is the same and most babies are born with the reflex of looking for the mother’s breast, sometimes practical support and information is needed to clarify doubts and natural fears of this phase. Simple things like knowing how to position the baby during a feed and explaining what a proper latch is like , and that it is not normal for the baby to fall asleep at the breast or that it takes 2 hours to feed!

    Breastfeeding takes time and practice for mothers and babies and it is often necessary to learn to breastfeed!

  • It’s normal to have cracks, pain and macerated nipples!
    No! It’s not normal to hurt during a feed! I’ve heard many grandmothers, aunts and friends tell the mother that the pain is normal and that the breast needs to get “callus”!!!! Many mothers feel discomfort in the first few days after birth, it is normal to feel nipple tenderness, but not pain!! Mother and baby are getting to know each other and learning to breastfeed. If there is pain or discomfort, it is ideal to contact a Doula, C.A.M. or a professional who can assist and assess the baby’s positioning and latch at the breast to help overcome the challenge.

  • Milk is weak!
    There is no such thing as weak milk! Each woman produces the right milk for her baby and in the amount needed. In times of peak growth, our body takes around 24 to 48 hours to adapt production to the baby’s needs.

  • Wash your nipples before breastfeeding!
    Washing your nipples before breastfeeding is not necessary. Except in cases where the mother is applying some topical medication (ointments with antibiotics or antifungics) that cannot be ingested by the baby or with essential oils. Otherwise it is not necessary to wash the nipples, as when babies are born they are already very familiar with the smells and sounds of their mother. Nipples produce a substance that the baby smells and has “good bacteria” that help build a baby’s healthy immune system for life.
  • Avoid eating certain foods while breastfeeding!
    A balanced diet and healthy eating during pregnancy is to maintain while breastfeeding. In general, there is no need to change eating habits. Babies are exposed to their mothers’ food preferences from the womb. If a mother finds that her baby is reacting to a specific food she eats, she can consult with the health care professional that accompanies them.


    And there are more…much more!
A Gravidez pode trazer alguns incómodos e para aliviar esses incómodos, partilhamos consigo alguns métodos naturais que farão toda a diferença.

Alívio de Incómodos na Gravidez

Cuidados naturais para alívio de incómodos na gravidez

A gravidez traz alguns ou vários incómodos que são sentidos pelas grávidas de forma mais ou menos intensa.

Existem formas naturais e ancestrais que auxiliam no alívio destes incómodos, ficam aqui alguns dos mais comuns:

  • Enjoos matinais : em diversos estudos, o consumo moderado do gengibre foi comprovado como seguro durante a gravidez. Recomenda-se o uso de menos de 2 gramas de gengibre por dia para alívio dos enjoos.  Um desses estudos concluiu que 53% das mulheres grávidas que ingeriam gengibre viram reduzidos os enjoos e vómitos e todos os sintomas associados ao enjoo matinal da gravidez. Ingerir pão integral, em jejum, ainda antes de a grávida se levantar da cama, ou uma bolachinha ainda antes mesmo de levantar a cabeça da almofada.
  • Azia : devem evitar-se bebidas e alimentos que causam perturbações gastrointestinais. É preferível tomar várias refeições pequenas ao longo do dia e, ao comer, mastigar bem os alimentos. Pode também incluir na alimentação ervas como manjericão, hortelã, manjerona, segurelha, erva de São Roberto e raiz de gengibre. Mastigar lentamente amêndoas com pele, criando um bolo alimentar espesso na boca, ajuda muitíssimo.  Evitar comer antes de ir para a cama e dormir com uma ou várias almofadas altas de forma a elevar o corpo também poderá ajudar a evitar a subida dos ácidos e facilitar a digestão.
  • Cãibras: Bananas, comer bananas ou outras frutas que também contêm magnésio e podem ajudar a combater as cãibras, tais como laranja, uva, framboesa, melancia, melão, amora, ameixa e água de coco. Outra alternativa é o xarope de magnésio à venda em lojas de produtos naturais/ ervanárias, por exemplo. 
  • Cistites e infeções urinárias:  aumentar o consumo de água até três litros por dia durante o período de infeção urinária e depois retomar a quantidade habitual (um litro e meio) e beber diariamente sumo de arando (ou comer arando em forma de passas, cinco punhados por dia – cranberries), ou tomar arando em forma de xarope, pois é um excelente preventivo de problemas urinários, caso não sinta melhorias, deve consultar o profissional de saúde de imediato.

Fonte : Luísa Condeço, Rede Portuguesa de Doulas



Natural care to relieve pregnancy discomforts

Pregnancy brings some or several discomforts that are felt by pregnant women more or less intensely.

There are natural and ancestral ways that help alleviate these discomforts, here are some of the most common:

  • Morning Sickness: In several studies, moderate consumption of ginger has been proven to be safe during pregnancy. It is recommended to use less than 2 grams of ginger per day for nausea relief. One of these studies found that 53% of pregnant women who ate ginger saw reduced nausea and vomiting and all symptoms associated with morning sickness of pregnancy. Eat wholegrain bread, on an empty stomach, even before the pregnant woman gets out of bed, or a biscuit even before lifting her head from the pillow.
  • Heartburn: drinks and foods that cause gastrointestinal disturbances should be avoided. It is preferable to eat several small meals throughout the day and, when eating, chew the food well. You can also include herbs such as basil, mint, marjoram, savory, St. Robert’s wort and ginger root. Slowly chewing almonds with the skin, creating a thick cake in the mouth, helps a lot. Avoiding eating before going to bed and sleeping with one or several high pillows in order to elevate the body can also help prevent the rise of acids and facilitate digestion.
  • Cramps: Bananas, eating bananas or other fruits that also contain magnesium and can help fight cramps, such as oranges, grapes, raspberries, watermelon, cantaloupe, blackberry, plum and coconut water. Another alternative is magnesium syrup available at natural food/herbal stores, for example.
  • Urinary cystitis and infections: increase water consumption to three liters a day during the urinary infection period and then return to the usual amount (a liter and a half) and drink cranberry juice daily (or eat cranberry in the form of raisins, five handfuls per day – cranberries), or take cranberry in syrup form, as it is an excellent preventative of urinary problems, if you do not feel improvement, you should consult your health professional immediately.

Source: Luísa Condeço, Rede Portuguesa de Doulas

Benefícios do Aleitamento Materno

Benefícios do Aleitamento Materno

O leite materno é um alimento vivo, completo e natural, adequado para quase todos os recém-nascidos, salvo raras exceções. 

As vantagens do aleitamento materno são múltiplas e já bastante reconhecidas, quer a curto, quer a longo prazo, existindo um consenso mundial de que a sua prática exclusiva é a melhor maneira de alimentar as crianças até aos 6 meses de vida. Mas o mais impressionante é que o aleitamento materno traz inúmeras vantagens tanto para a o bebé como para a mãe, como para o ambiente e comunidade.


Benefícios para o bebé:

  • Proteção contra algumas doenças;
  • Maior protecção contra microrganismos específicos, como vírus e bactérias;
  • Menor probabilidade de infeções respiratórias;
  • Maior resistência a viroses, diarreias, otites e infeções urinárias;
  • Melhor desenvolvimento da visão;
  • Menor probabilidade de eczemas e asma;
  • Risco reduzido do Síndrome de Morte Súbita do Lactente;
  • Se o bebé está doente, dá conforto, ajuda a hidratar e a recuperar mais rapidamente.

Benefícios para a mãe:

  • Promove uma recuperação rápida após o parto (exemplos: contribui para a diminuição das hemorragias);
  • Diminui o risco de cancro da mama, cancro do ovário na fase pré-menopausa, osteoporose, doenças cardíacas, diabetes e artrite reumatoide;
  • Prático, simples, auto esterilizado;
  • Aumenta a confiança da mãe, a sensação de bem-estar e a segurança.

Benefícios para a sociedade e ambiente:

  • Permite poupar energia e recursos alimentares;
  • Evita a produção de lixo não deteriorável facilmente (latas, biberões, tetinas, outro material para limpeza ou desinfeção);
  • É um alimento único no mundo, e irrepetível! Cada mulher vai produzir o leite adequado ao seu bebé.




Benefits of Breastfeeding

Breast milk is a living, complete and natural food, suitable for almost all newborns, with rare exceptions.

The benefits of breastfeeding are various and already well recognized, both in the short and long term, with a worldwide consensus that its exclusive practice is the best way to feed children up to 6 months of age. But the most impressive thing is that breastfeeding has numerous benefits for both the baby and the mother, as well as for the environment and the community.


Benefits for the baby:

  • Protection against some diseases;
  • Increased protection against specific microorganisms, such as viruses and bacteria;
  • Less likelihood of respiratory infections;
  • Increased resistance to viruses, diarrhea, ear infections and urinary infections;
  • Better vision development;
  • Less likelihood of eczema and asthma;
  • Reduced risk of Sudden Infant Death Syndrome;
  • If the baby is sick, it gives comfort, helps to hydrate and recover faster.


Benefits for the mother:

  • Promotes rapid recovery after childbirth (examples: contributes to a reduction in postpartum bleeding);
  • Decreases the risk of breast cancer, pre-menopausal ovarian cancer, osteoporosis, heart disease, diabetes and rheumatoid arthritis; 
  • Practical, simple, self-sterilized;
  • Increases mother’s confidence, sense of well-being and security.


Benefits for society and the environment:

  • Saves energy and food resources;
  • Avoids the production of non-deteriorable garbage easily (cans, bottles, teats, other material for cleaning or disinfection).
  • It is a unique food in the world, and unrepeatable! Each woman will produce the right milk for her baby.
Massagem Pós-Parto

Massagem Pós-Parto

As primeiras semanas do pós parto são mesmo muito intensas para as novas mães!

Para além de terem de recuperar de uma situação cansativa e física e emocionalmente exigente, ainda têm que lidar com os ajustamentos na vida quotidiana para receber o novo membro da família.
O pós- parto é um período muito delicado na vida de uma mulher, e ainda muito mal compreendido por aqueles que a rodeiam!


Com tanto stress e cansaço acumulado começam a surgir as dores …na cervical, na lombar, na cabeça…Um peso nos ombros, dores nos braços…. Estados muito comuns….

Benefícios:
A massagem pós-parto irá ajudar a nova mãe a relaxar e repor as suas energias, aliviar os desconfortos musculares, melhorar o sono, reduzir o stress hormonal, melhorar o estado emocional, aumentar a produção de leite aumentando os níveis de prolactina, ajudar aumentar o vínculo mãe/bebé e a usufruir de um tempinho só para si, longe do stress e das preocupações desta nova fase da sua vida. Ajuda ainda a evitar o Baby Blues ( depressão pós-parto) cada vez mais comum pela exigência que o peso da sociedade tem sobre as mulheres.

Algumas dicas para uma boa recuperação no período pós-parto:

Amamente! É verdade amamentar ajuda as mamãs a perder até cerca de 500 calorias por dia. Por outro lado, a amamentação contribui para que a barriga fique menos inchada. Tudo isto acontece, porque existe a libertação de oxitocina, uma hormona que permite que o útero volte ao normal.

Hidrate-se! Esta é uma condição essencial para que se consiga desfrutar de cada uma das vantagens da amamentação. Beba bastantes líquidos diariamente. Água, sumos naturais e chás são apenas alguns dos exemplos. Atenção: refrigerantes não devem ser consumidos!

Alimente-se com equilíbrio! Não é aconselhável abusar de ingredientes industrializados e gordurosos.



Postpartum Massage

The first weeks of postpartum are really intense for new mothers!

In addition to having to recover from a tiring, physically and emotionally demanding experience, they still have to deal with adjustments in their daily lives to receive the new family member.

Postpartum is a very delicate period in a woman’s life, and still very poorly understood by those around her!
With so much stress and accumulated tiredness the pains start to appear… in the cervical, in the lumbar, in the head… A weight on the shoulders, pain in the arms…. Very common states….

Benefits:
Postpartum massage will help the new mother to relax and replenish her energies, relieve muscle discomfort, improve sleep, reduce hormonal stress, improve emotional status, increase milk production by increasing prolactin levels, help increase the mother / baby bond and enjoying time for yourself, away from the stress and worries of this new phase of your life. 

It also helps to avoid Baby Blues (postpartum depression), which is becoming more and more common due to the demands that society has on women.

Some tips for a good recovery in the postpartum period:

Breastfeed! It is true that breastfeeding helps moms to lose up to about 500 calories a day. On the other hand, breastfeeding contributes to make the belly less swollen. All of this happens, because there is the release of oxytocin, a hormone that allows the uterus to return to normal.

Hydrate yourself! This is an essential condition to be able to enjoy each of the advantages of breastfeeding. Drink plenty of fluids daily. Water, natural juices and teas are just a few of the examples. Attention: soft drinks must not be consumed!